Um ano com o ZenFone 2 e a hora de dizer adeus!

Exatamente a um ano atrás, eu DaSAeV publiquei neste site a minha experiência de um ano de uso com o ZenFone 5. Hoje eu trago à vocês a minha opinião...
cover

Exatamente a um ano atrás, eu DaSAeV publiquei neste site a minha experiência de um ano de uso com o ZenFone 5. Hoje eu trago à vocês a minha opinião sobre o ZenFone 2 após um ano utilizando o dispositivo.

Em janeiro de 2015 eu acompanhei o anúncio do ZenFone 2 para o mundo, e criei muitas expectativas sobre o aparelho. As duas características que mais me chamaram a atenção foram os 4GB de memória RAM e a possibilidade de controlar melhor a câmera utlizando o MODO MANUAL.

Quando o smartphone foi lançado no país, seu preço me atraiu muito, e a vontade que tinha em adquiri-lo aumentou a ponto de eu comprá-lo. Decidi comprar a versão de 16GB com processador INTEL ATOM Z3580 de 2.3Ghz, comprei pela internet, em uma semana a partir da data da compra o dispositivo já estava em minha casa. Em primeira vista o aparelho me agradou bastante, pois era bonito, leve e muito confortável, mas, logo em seguida tive minha primeira frustração: o device não tinha junto á sua caixa um carregador “BOOSTMASTER” de carregamento rápido, contando apenas com um simples carregador lento – lê-se tartaruga de sempre.

A próxima frustração foi descobrir que o carregador simples que veio junto ao dispositivo tinha um defeito que impossibilitava seu uso em determinados momentos, o famoso mal contato. Tentei entrar em contato com a ASUS para comprar um outro carregador, (preferi não enviar o aparelho à empresa, pois, causaria um grande transtorno à mim). O valor do carregador simples que era vendido na assistência técnica da empresa era muito mais caro que o BoostMaster que era vendido no próprio site oficial da empresa, logicamente preferi comprar o BoostMaster. Além desses pontos, percebi também uma fragilidade da tela ENORME, principalmente em relação a riscos, novamente entrei em contato com a assistência técnica e depois coma ouvidoria da ASUS, que afirmou trabalhar apenas com peças originais, no caso do vidro, o Corning Gorilla Glass 3.

Após uma semana de uso percebi o quanto o ZenFone 5 me era suficiente a ponto de quase não sentir diferença no seu uso. Entretanto o que mais diferenciou um ZenFone a outro foram suas câmeras, tanto a frontal como a traseira, os 4GB de Memória RAM, que realmente se mostrou bastante fiel, e o seu maior tempo de uso, devido sua bateria ser maior que a vista em seu antecessor. Claro que isso é muito particular de cada usuário, eu por exemplo não tenho o costume de jogar muito no Smartphone, mas, gosto bastante de fotografar cada momento do dia e do ambiente em que estou.

Com um maior tempo de uso me apeguei muito ao aparelho, ele fazia já parte de mim. A interface ZenUI foi quem proporcionou essa ligação entre eu e o ZenFone 2, suas funções por mais simples que sejam faziam toda a diferença no meu dia a dia, como por exemplo o Do it Later, o aplicativo de E-mail, o SuperNote, o aplicativo nativo de música, sem contar com a Capa FlipCover do ZenFone 2 que fazia o smartphone mais completo e intuitivo.

Após já vários meses de uso, passei por vários problemas de software que foram resolvidos pela ASUS de forma rápida, como o problema nos arquivos temporários que não eram deletados e acabavam ocupando um espaço enorme no armazenamento interno. Mas esses problemas eram pequenos se comparados aos constantes atrasos na liberação da versão 6.0 Marshmallow, o que gerou uma enorme indignação nos usuários e até mesmo em mim, principalmente depois do lançamento da versão 6.0 para o ZenFone 2 LASER, que é um smartphone inferior ao ZenFone 2, mesmo tendo algumas funções a mais. Até hoje não foi lançado a versão oficial, estando restrita apenas a alguns usuários que se propuseram a testar a versão BETA do Android 6.0.

Um desses usuários BETA foi eu, no dia em que foi disponibilizada chegou a atualização em meu ZenFone 2, achei que já era a versão oficial e logo instalei, só depois de instalado que descobri que se tratava de uma versão de testes. Nesta versão foram poucas as mudanças, o que acaba provocando uma pergunta do tipo: Porque tanto atraso? Não mudou quase nada. Essa pergunta foi respondida pelo Marcel Campos Diretor de Marketing da ASUS na América do Sul e Índia, que apontou as razões pelas quais atrasou tanto a liberação da versão final do Android Marshmallow para o ZenFone 2.

Infelizmente nesta semana o meu ZenFone 2 foi roubado, tentei recuperar os arquivos pela nuvem mas pouca coisa foi resgatada, tentei também rastrear o dispositivo pelo Gerenciador de dispositivos Android e pela solução anti-roubo da Trend Micro, ambas não tiveram sucesso. Apenas o Histórico do Maps conseguiu rastrear os últimos destinos feitos pelo aparelho antes do dispositivo ter seu IMEI bloqueado.

O ZenFone 2 foi um smartphone sem igual, se mostrou bastante fiel e produtivo enquanto esteve em minhas mãos, a assistência técnica da ASUS sempre foi bastante atenciosa comigo, mesmo as vezes não conseguindo resolver meu problema da forma como eu queria, o que é totalmente compreensível. Agora vamos aguardar como será o ZenFone 3, a curto, médio e longo prazo.

 

 

 

Categorias
Notícias

Felipe Almeida, 19, Web Designer e cursando ciências da computação. Apaixonado por tecnologia e amante do mundo ASUS. Sempre buscando ajudar as pessoas e aprendendo com todos! :D

Achou legal? Veja mais..